Logo | MedGuideXP

Alvo de pressão arterial no Acidente Vascular Cerebral | Parte I

Fator de risco modificável mais importante para a ocorrência do acidente vascular encefálico (AVC).

Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS)

  • 54% dos casos de AVC no mundo são atribuídos a HAS, sendo uma das principais causas de morte no Brasil.
  • O fluxo sanguíneo cerebral é regulado pela relação entre pressão de perfusão cerebral (PPC) e  resistência vascular cerebral, mantendo-se constante mesmo com flutuações diárias da PAM entre 60 e 150 mmHg.
  • Ao redor da zona de infarto cerebral na fase aguda, há menor perfusão cerebral, levando a perda da atividade elétrica e da função da bomba iônica 🡪acidose e hipóxia regional 🡪 alteração do fluxo sanguíneo regional. Esta região estruturalmente viável, mas funcionalmente comprometida chama-se penumbra isquêmica.
  • A partir de determinado patamar pressórico e de perfusão pode ocorrer recuperação completa da área de penumbra ou conversão em zona de infarto com lesão neuronal irreversível.
  • Elevação espontânea da PA pode ocorrer na fase aguda do AVC, mais acentuado no subtipo hemorrágico. Este achado sugere que os riscos e benefícios do tratamento da PA na fase aguda devam diferir entre os dois subtipos. Os principais fatores da elevação da PA são: perda da autorregulação, dano ou compressão das regiões do cérebro que regulam o sistema nervoso autônomo, fatores neuroendócrinos, dor, retenção urinária e estresse psicológico.
  • Redução espontânea da PA também costuma ocorrer nas primeiras horas do evento estendendo-se até o final da primeira semana, embora 40% dos pacientes  permaneçam hipertensos.
  • Há dificuldade em estabelecer os limites pressóricos na fase aguda do AVCi tanto pelo risco de expansão da área do infarto com a redução da PA quanto pelos piores desfechos relacionados a PA muito elevada.

Estudos observacionais, como a análise post-hoc do estudo International Stroke Trial (IST), indicam associação em forma de “U” da PA e do aumento da mortalidade e grau de incapacidade tanto com valores baixos quanto altos da PA. Outro aspecto é a variabilidade da PA na fase aguda. Na análise do estudo VISTA (Virtual International Stroke Trial) tanto a PAS isoladamente elevada quanto a grande variação da PAS (reduções da PAS > 75 mmHg ou elevações > 25 mmHg) com pior resultado funcional.

Aguarde a continuação deste post!


Post elaborado por:

Dr Luciano | MedGuideXP

DR. LUCIANO AZEVEDO

Médico formado pela Universidade Federal da Paraíba, com residência médica em medicina interna e medicina intensiva pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1999). Doutor em ciências médicas pela Faculdade de Medicina da USP (2004).
Leia mais

Colaboração acadêmica

Juliana Dantas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Direitos reservados MedGuideXP - Desenvolvido por Surya MKT
Site atualizado em:
10:01 | 12/07/2024
Entre em contato